Existem conversas que têm o cheiro do fumo e o sabor do fumeiro!

Foto: Alto Minho TV

Conversas que apenas se escrevem nas linhas da alma e se regam nos rios do corpo!

Existem conversas que têm a magia da serra e das suas gentes!

Foto: Wikipedia

Conversas tecidas ao serão com a beleza do fuso que acaricia as mãos calejadas!

Sim, existem conversas que são autênticos hinos à Serra dos pastores...

Foto: Manuela Viola - Olhares Online

Mas, apenas, algumas pessoas conseguem entender! Acontecem muitas destas conversas!...

- És feliz com a vida que escolheste, após te aposentares?

Nunca te vi ir de férias, nem para dentro nem para fora!

Que vida escolheste tu?

Fui a tua casa no domingo, ia fazer-te uma surpresa, convidar-te para vires passar uns dias comigo... e para meu espanto, dizem-me que não estavas, que tinhas ido ter com os pastores da Estrela!

Foto: Malay Coutinho - Pinterest

Perguntei quando te poderia encontrar, visto estar uma semana cá no país e dizem-me que o lugar mais certo para te encontrar é na serra do Montemuro ou na Estrela, salvo exceções de algum evento que chame tua presença!

Foto: Serra de Montemuro - Turismo Centro Portugal

Estranha forma de vida, como diz a nossa Amália!

- Minha querida amiga, Deus sabe o quanto desejava esse abraço, mas acredita que na pacatez dos montes e vales, consigo ter o melhor da natureza, consigo conhecer as mais belas histórias de vida, consigo viver as mais apaixonantes odisseias!

Sabes, é com estas gentes, é com o Povo o nosso maior património que eu enriqueço culturalmente!

Falo com o ermitão, contam-me lendas, tradições antanhas, levam-me ao moinho, aos pisões do burel, aos penedos beber a água mais cristalina que existe, dão-me a comer o feijão com couve e a carne de porco, o saboroso queijo feito de forma artesanal...

- Mas, isso é viver?

Repara, estive na Madeira, agora vou para Albufeira, gostaria de te levar...

- Querida amiga, fico-te muito grata!

Acredita que oportunidades dessas não me faltam, inclusive com minha família, mas um dia ou dois fora do meu mundo, eu não sou eu!

Sabes, adoro comer na malga, adoro ver uma tempere ao lume com banha de porco, adoro comer a bola ao sair do forno com pedacinhos de carne, adoro o primeiro leite das vacas quando parem que faz saborosas filhoses...

Adoro, sim, todo o fenómeno da vida "eremítica", que liberta a solidão, o abandono, o vazio do tempo que nos sustém!

Sabes, quero continuar os capítulos da minha vida e continuar a rasgar caminhos que me conduzem à ruralidade que preenche o meu mundo!

- Agora entendo-te, minha amiga...

Tu és mesmo um ser de luz capaz de alumiar a escuridão dos dias de muita gente, das tuas gentes como lhes chamas!

Assim te conheci, já nas nossas muitas caminhadas para o colégio, quando dava conta tinhas ficado para trás a falar com as pessoas que encontrávamos pelo caminho!

Muitas, não as conhecias...

Mas, tu dizias que eram pessoas à espera de um carinho!

Afinal, os anos ainda intensificaram mais esse teu sentimento!

Continua... Tenho orgulho de ti!

- Bem hajas, por me compreenderes e aceitares tal como sou!

Muito imperfeita, mas sempre, sempre dar o que de melhor tenho...

O meu amor, a minha atenção, o meu eu a tantos outros eus que me abraçam!

(Uma conversa tida com a Beatriz, minha amiga de sempre, que já não vejo há mais de 50 anos!)

Ela não adere às redes sociais!

Valeu o número de telemóvel que lhe facultaram no domingo, aqui, em casa!

Não há dúvida, que ter o essencial faz a vida valer a pena!

Eu sou feliz com o essencial, pois nele tenho as gentes que fazem parte do meu mundo, pequeno no tamanho, mas enorme no universo!

E...Se amar e ser amada é ser um ser de luz, então, sim, eu sou um ser de luz!

Publicado em
30/9/2021
na categoria
Caminhos na História
Clique para ver mais do autor(a)
Celeste Almeida

Mais do autor(a)

Celeste Almeida

Ver tudo